Curiosidades históricas: da música antiga à contemporânea

A música faz parte da humanidade desde os tempos mais antigos. Ela é um entretenimento, uma fonte de inspiração, é fundamental em cerimônias religiosa e militares e tem o poder de alterar o desenvolvimento cognitivo e motor das pessoas. Nesse texto, fazemos uma linha do tempo da música e contamos algumas curiosidades sobre cada período histórico. Venha descobrir!

Música na Pré-história

Você sabia que muito antes da escrita, da roda e mesmo da agricultura o ser humano já produzia música com a voz e com instrumentos musicais? Os primeiros instrumentos eram de percussão, e envolviam batidas com bastões e objetos, bem como o uso do corpo para emitir som.

Os primeiros instrumentos musicais construídos e controláveis surgiram entre 40 e 9 mil anos atrás, como os tambores, as flautas e os xilofones. Eles eram feitos com pedras, ossos e madeira. Já os metais foram criados muito tempo depois, cerca de 5 mil anos a.C., e com eles foram construídos instrumentos um pouco mais sofisticados. Como nesse período já haviam civilizações relativamente desenvolvidas, elas foram capazes de criar sistemas musicais próprios.

Música na Antiguidade

Para quem ainda não sabia, havia muita música na Antiguidade! Os sumérios utilizavam hinos e cantos salmodiados e os egípcios, por volta de 4 mil a.C., já constituíam uma civilização avançada e sofisticada. A música era utilizada em cerimônias religiosas nos templos e registros apontam para a existência de harpas, flautas e elementos de percussão, bem como tambores e trompetes.

Nesse mesmo período os chineses utilizavam uma escala pentatônica e os indianos tinham uma profunda relação com a música e com instrumentos. Mas foi na Grécia Antiga que a teoria musical começou a ser desenvolvida como conhecemos atualmente.

Os filósofos gregos apreciavam a música e percebiam uma profunda relação entre a linguagem musical e a matemática. Ela fazia parte da vida cotidiana e das artes, como dança e teatro, e os instrumentos mais utilizados incluíam lira, cítara, flauta e hidraulo. Os romanos herdaram todo o conhecimento grego nessa seara.

Música na Idade Média

A música medieval é característica da Europa ocidental entre os séculos V e XV e, como nesse período a Igreja Católica coordenava todas as atividades culturais, a música sofreu forte influência da religião. O canto gregoriano, por exemplo, foi muito popular nesse período. Ele é original do Oriente Médio, mas foi incorporado na tradição católica.

Também neste longo período histórico foi criado o trovadorismo (música popular cantada por camponeses que propagou-se em todo o continente) e o sistema de notação musical em Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá e Si.

Música Renascentista

Já no final da Idade Média muitos músicos queriam distanciar-se da produção ligada à Igreja para criar músicas mais livres e universais. A característica desse período acabou sendo a polifonia.

Música Barroca

Um dos grandes acontecimentos do período barroco é o surgimento das orquestras e da ópera, que inovou ao dar mais importância para os instrumentos musicais do que para a voz humana. Também os concertos, que até então eram privados, foram aos poucos tornando-se públicos por meio da construção e popularização das casas de ópera e teatros. Vivaldi e Bach são dois nomes ilustres da música barroca.

Música Clássica

Grandes compositores que viveram nos séculos XVIII e XIX são conhecidos e apreciados até hoje, como Haydn, Vivaldi, Mozart e Beethoven. Vários estilos musicais foram criados, como as sonatas, as sinfonias, os concertos, os quartetos de cordas, etc., e também instrumentos musicais. O formato atual das orquestras foi herdado principalmente dessa época.

Música Romântica

As orquestras cresceram de tamanho com a música clássica do período romântico. A “Sinfonia do Mil” de Gustav Mahler, por exemplo, reuniu mais de 150 instrumentistas e de 300 pessoas no coro. Também foram criadas novas formas, como noturnos e prelúdios, e a popularização atingiu também as classes médias, abandonando a exclusividade dos nobre e burgueses.

Música Contemporânea

Desde o século XX, o mundo mudou em todos os sentidos. O desenvolvimento tecnológico, aliado à difusão dos rádios e da TV, bem como equipamentos de gravação, edição, reprodução e compartilhamento de áudio e vídeo revolucionaram a maneira como a sociedade interage com a música.

Além disso, os últimos 100 anos foram marcados por uma maior experimentação musical e emergência de novos gêneros, tanto na música erudita como na cultura pop, desafiando paradigmas anteriores e propondo inovações no campo musical.