A relação da música com movimentos corporais

Nos dias de hoje, muito se fala sobre “consciência corporal”. Esse termo está relacionado à capacidade que temos em perceber o nosso corpo, de uma maneira mais complexa. Em resumo, é a forma como relacionamos o nosso corpo com nossa mente e com o espaço no qual estamos inseridos.

A necessidade do equilíbrio entre mente e corpo

Em uma sociedade completamente competitiva, onde as pessoas buscam sempre conhecimento e contemplam a mente, a qualificação e o estímulo ao intelecto são tidos como prioridades. E de fato, esses são aspectos importantes da vida cotidiana, que não devem ser desconsiderados. Entretanto, a relação dos indivíduos com seus corpos pode ser deixada de lado ou até mesmo negligenciada.
Nesse contexto, se a preocupação com a forma com que você compreende seu corpo e como ele funciona e se relaciona com o externo surge, a musicalização é uma grande aliada. Além de trazer resultados interessantes para o corpo, também traz para a mente.

A relação da música com movimentos corporais

Que o ensino da educação musical traz diversos benefícios para a qualidade de vida, como a melhora do raciocínio, criatividade e memória, você já sabe. No entanto, ela também tem papel fundamental no que diz respeito à coordenação motora e aos movimentos corporais.

Quem dança ao som de uma música, por exemplo, tem uma maior predisposição para construir a imagem do seu próprio corpo. Este fato é fundamental quando analisamos a forma como este indivíduo se expressará tendo esta facilidade em suas mãos.
Através da movimentação corporal e do estimulo à consciência de corpo, a atenção, a percepção e a colaboração de um indivíduo com os demais é exercitada.

Por isso, exercícios musicais oferecem muitas possibilidades para que a as habilidades motoras sejam aperfeiçoadas. Através desses métodos, pode-se aprender a controlar seus músculos, por exemplo, e usar isso de maneira vantajosa para a sua realidade.
Vale lembrar também que a música tem um papel muito significativo para o sistema nervoso. “Mas como?”, você deve se perguntar. Simples: as frequências musicais atingem sua mente, o que causa impactos emocionais. Logo, a facilidade para executar algumas tarefas pode se dar através da música.

Ao ter contato com música, você pode ter experiências que tragam felicidade, saudade, ou até mesmo que aliviem as tensões e angústias que tem sentido. Aliada às simples ações de cantar, dançar, bater palmas, essa experiência pode se tornar libertadora, além de desenvolver seu senso de ritmo e sua coordenação motora – esta, fundamental para todas as atividades humanas que envolvam ação, como comer, escrever e caminhar até às mais complexas.

Um grande exemplo de tais fatos elencados é a Musicoterapia. Musicoterapia é a utilização dos elementos musicais para fins clínicos, sociais e até mesmo de educação. Executada pelo profissional denominado musicoterapeuta, essa técnica – já estudada e comprovada em âmbito científico – desenvolve capacidades novas para aqueles que possuem limitações (sejam elas físicas ou psicológicas) ou até mesmo ajuda no processo de reparação de danos (como a fisioterapia, por exemplo).

Pode-se notar, então, que a relação da música com os movimentos corporais não é apenas íntima, mas crucial para o desenvolvimento do indivíduo em sua totalidade.

Se você gostou deste post:

– siga as nossas páginas nas redes sociais para acompanhar as nossas atualizações: estamos no Facebook, no Instagram, no LinkedIn, no Twitter e no YouTube!

– Conheça o trabalho da Sociedade Artística Brasileira (SABRA) e todas as iniciativas culturais e sociais que ela mantém. Acesse nosso site!

– entre em contato com a gente. E veja quais são as opções de ajuda na manutenção de nossas ações sociais e culturais. Basta acessar nossa página Doe Agora!

– Compartilhe este texto nas suas redes sociais e ajude os seus amigos a também dominarem o assunto!