Qual a diferença entre os dois?

Para compreender ação social e relação social é preciso observar os objetivos desta interação. Ambos são presentes no dia a dia da sociedade e em como nos reconhecemos, porém eles pertencem a níveis diferentes de relacionamento. Contudo, os dois têm caráter transformador quando compreendidos e incentivados. Porque isso determina que tipo de envolvimento um indivíduo tem com o outro ou com uma comunidade, e o quanto isso impacta vidas.

O primeiro passo para criar relacionamento

A ação social é entendida em nossa sociedade como um câmbio de comunicação entre pessoas de uma comunidade. Esta interação apresenta valores que são compreendidos pelos diferentes grupos sociais. Isso quer dizer que desde um aperto de mão ou um aceno em cumprimento revelam comunicação, ela diz sobre a ação dos indivíduos de carne e osso. Sem compartilhamento de sentido não há como ter ação social.

As relações sociais são o desdobramento das ações sociais, pois elas representam a união entre pessoas e grupos sociais. Todo o empírico aprendizado de cultura, que é a socialização primária acontece com as referências dentro da família, que é um exemplo de relação social. Conforme o crescimento, estes grupos de relacionamento vão sendo ampliados para vizinhos, escola, trabalho e vários outros.

Importante destacar nesta diferenciação é que as relações sociais atingem um número mais elevado de indivíduos. As ações sociais são um fenômeno e tem impactos muito específicos, enquanto as relações sociais abrangem uma universalidade. Podemos compreender que as relações têm uma característica de rede, de conexão abrangente. Um simples aperto de mão pode se tornar uma amizade, um pequeno contato com um instrumento pode ser transformado no desejo de aprender.

Os desafios em transformação ação em relação

O desafio premente da sociedade é transformar as ações sociais em relações sociais, guiar no caminho da construção de redes, parcerias e relacionamentos. Para isso é primeiro preciso fazer um recorte desta sociedade, entender como elas se constituíram e quais são suas necessidades e anseios. Sem esta observação, todas as bases para este relacionamento serão fracas, fazendo com que os projetos não tenham sentido.

Portanto, é preciso construir a partir da realidade que foi estudada e compreendida. E então, prospectar se o que será desenvolvido tem relação com este caráter empírico da sociedade. Porque se não for assim, as ações sociais nunca irão evoluir para as relações sociais. Elas deixarão de ser profícuas porque são pontuais, sem envolvimento com quem se comunica. Não entender a comunidade é não encontrar sentido em estar ali.

A sociologia compreende a ação social como qualquer movimento que leve tanto o fazer quanto o reagir aos indivíduos. Contudo, é preciso fazê-los refletir e modificar a partir desses eventos. Estas ações podem ter fundo comunitário ou associativo através de atividades lúdicas, assistência médica, doações diversas, construção de edificações e etc.

Todavia, as ações somente são relevantes quando se tornam relações, o que acontece por meio da presença física e fixa no meio daquela comunidade. Ela vai garantir a todos a assistência e a contribuição efetiva em necessidades básicas, cultura, formação, desenvolvimento pessoal, aprendizado de ofício e outros benefícios.

Se você gostou deste post:

– siga as nossas páginas nas redes sociais para acompanhar as nossas atualizações: estamos no Facebook, no Instagram, no LinkedIn, no Twitter e no YouTube!

– Conheça o trabalho da Sociedade Artística Brasileira (SABRA) e todas as iniciativas culturais e sociais que ela mantém. Acesse nosso site!

– entre em contato com a gente. E veja quais são as opções de ajuda na manutenção de nossas ações sociais e culturais. Basta acessar nossa página Doe Agora!

– Compartilhe este texto nas suas redes sociais e ajude os seus amigos a também dominarem o assunto!