Curiosidades sobre o universo da música clássica

A música clássica encanta, apaixona e emociona. Diversos estudos comprovam seu poder de cura, sua influência nas emoções e no humor e até mesmo sua influência positiva na hora de estudar. Entretanto, existem diversas informações interessantes sobre o mundo clássico que nem todo mundo sabe. Confira 8 curiosidades sobre o universo da música clássica:

1. Números

Estima-se que frequentemente, no mundo todo, executem-se as obras de cerca de 1500 compositores de música clássica de estilos diversos. Entre os estilos mais conhecidos, temos as sonatas, as sinfonias, os concertos, as canções, as tocadas, os estudos e as suítes.

2. Formato

Uma das características que ajudam a identificar a música clássica, segundo estudiosos, é que seu desenvolvimento busca manter uma conexão do início ao fim da composição. Esse aspecto a diferencia da música popular, que tem como característica uma construção e uma apresentação mais livre.

3. Controvérsias

Muitos especialistas defendem que o termo “música clássica”, como é utilizado, está incorreto, pois a música clássica se refere ao que foi produzido durante o período clássico da música (classicismo), que se deu entre a segunda metade do século 18 e o começo do século 19. Por isso, diversos termos foram criados com a intenção de substituí-lo, entre eles a expressão “música erudita”.

4. Referência

Em qualquer orquestra o primeiro violinista é a segunda pessoa mais importante, atrás apenas do maestro. Chamado de spalla (que em italiano significa ombro), ele é uma referência para o grupo, pois repassa para os outros instrumentistas as indicações do maestro. Além de ser responsável pela afinação da orquestra e executar os solos.

5. Castrados

Os castrados ou castrati, em italiano, eram cantores que tiveram seus testículos retirados antes de entrar na puberdade. Esse recurso fazia com que mantivessem a voz aguda e com alcance natural, diferente tanto da voz adulta feminina, quanto da masculina. Essa prática começou no Império Bizantino (400 d.C.) e se extinguiu no fim do século 18.

6. Etiqueta

Assim como o tênis, que tem regras sobre barulhos durante a partida, o universo da música clássica tem uma etiqueta específica. A determinação é a de que só se deve aplaudir uma apresentação, após a execução de todos os movimentos (partes da composição). Essa “regra” existe com o objetivo de não prejudicar a concentração dos instrumentistas com as palmas nos intervalos.

7. Mulheres

Embora não tenham ganhado o mesmo reconhecimento dos homens, existiram muitas mulheres que se destacaram na história da música clássica, mas tiveram seu talento ofuscado pelo fato de serem mulheres. Fanny Mendelsson e Maria Anna Mozart são apenas dois exemplos que foram obrigadas a desistir da música para se casar. Felizmente, hoje já não há mais essa distinção. No Brasil, Chiquinha Gonzaga foi a primeira mulher a reger uma orquestra.

8. Maldição

Uma lenda diz que todo compositor clássico recebe uma maldição após escrever sua 10ª sinfonia. A maldição faria os compositores morrerem antes de criarem sua próxima obra. Esse mito fez com que vários compositores pulassem a 10ª sinfonia, indo da 9ª para a 11ª, com o objetivo de burlar a maldição.

Se você gostou deste post:

– siga as nossas páginas nas redes sociais para acompanhar as nossas atualizações: estamos no Facebook, no Instagram, no LinkedIn, no Twitter e no YouTube!

– Conheça o trabalho da Sociedade Artística Brasileira (SABRA) e todas as iniciativas culturais e sociais que ela mantém. Acesse nosso site!

– entre em contato com a gente. E veja quais são as opções de ajuda na manutenção de nossas ações sociais e culturais. Basta acessar nossa página Doe Agora!

– Compartilhe este texto nas suas redes sociais e ajude os seus amigos a também dominarem o assunto!