É impressionante como estamos em contato com a música o tempo todo. Isso começa muito cedo, pois logo nos primeiros meses de vida ganhamos brinquedos que emitem pequenas melodias.

Ouvimos músicas enquanto praticamos exercícios, dirigimos, cozinhamos, e até mesmo quando estamos trabalhando. Sem falar nas festas, as músicas são requisitos indispensáveis para uma boa celebração.

Os efeitos da música no cérebro humano

Essa forte relação que temos com a música está totalmente ligada ao poder que ela tem de causar diferentes reações em nosso cérebro. Uma música pode estimular um conjunto de diferentes neurônios escondidos no córtex auditivo, enquanto outros sons, como o barulho de uma furadeira, um carro derrapando ou uma porta sendo fechada, por exemplo, não ativam essas células.

Auxilia a liberação de dopamina no cérebro

De acordo com algumas pesquisas, a dopamina (neurotransmissor responsável pelas sensações de prazer e recompensa) é liberada no cérebro toda vez que escutamos uma música que gostamos. Isso explica porque a música é amplamente utilizada na indústria cinematográfica.

Mantém o cérebro ocupado

Lojas, supermercados, consultórios e muitos outros estabelecimentos utilizam bastante este recurso, pois é uma boa forma de manter os clientes calmos e distraídos em salas de espera e eventuais filas. O que acontece nesses casos, é que nosso cérebro tende a captar a música como informação principal, por isso não olhamos o tempo todo para o relógio, e também não ficamos irritados com a demora de um atendimento.

Por esse motivo, a música também é uma aliada de muitas pessoas durante a prática de exercícios físicos. Com o cérebro focado em uma música, sensações de dor e fadiga são parcialmente ignoradas.

Essa mudança na nossa percepção do tempo também pode ocorrer de outras formas. Se ouvirmos uma música que gostamos durante a realização de um serviço, por exemplo, é possível que tenhamos a impressão de que o tempo passou mais rápido.

Melhora a percepção

A música é capaz de estimular bastante a atividade cerebral de pessoas que tem contato com a educação musical. Estudos indicam que estudantes de música são capazes de perceber variações emocionais nas outras pessoas com muito mais facilidade. Pois o contato frequente com a música pode aprimorar a sensibilidade e a percepção de uma emoção expressa vocalmente.

Altera sabores

Alguns testes indicam que a música é capaz de fazer nosso cérebro alterar nossa percepção do sabor de algumas bebidas. É o caso do vinho, que pode parecer mais doce ou até mesmo mais refrescante, de acordo com a música que estivermos ouvindo durante a ingestão dessa bebida.

A música também pode influenciar nosso consumo de outras bebidas alcoólicas. Músicas com batidas mais fortes podem nos induzir a consumir um número maior de bebidas. Por esse motivo, essas músicas são muito utilizadas em boates.

A música e o cérebro humano

Os efeitos que a música causa no nosso cérebro são incríveis. Canções são capazes de nos proporcionar sensações de prazer, influenciar nosso consumo e melhorar o desempenho cognitivo. A música ameniza dores, ajuda a relaxar e pode até mesmo alterar nosso paladar.

Se você gostou deste post:

– siga as nossas páginas nas redes sociais para acompanhar as nossas atualizações: estamos no Facebook, no Instagram, no LinkedIn, no Twitter e no YouTube!

– Conheça o trabalho da Sociedade Artística Brasileira (SABRA) e todas as iniciativas culturais e sociais que ela mantém. Acesse nosso site!

– entre em contato com a gente. E veja quais são as opções de ajuda na manutenção de nossas ações sociais e culturais. Basta acessar nossa página Doe Agora!

– Compartilhe este texto nas suas redes sociais e ajude os seus amigos a também dominarem o assunto!