Você conhece os diferentes tipos de coral?

Que um coral é um grupo de pessoas que cantam em harmonia, nós sabemos. No entanto, de que forma esses grupos são organizados ou categorizados? Existem diferentes tipos de coro ou apenas um? Quer saber a resposta? Continue a leitura.

Existem diversos tipos de corais, entre eles estão:

– Profissional:

Na maior parte dos casos, são corais oficiais, vinculados à instituições públicas ou à Secretaria de Cultura do estado/cidade. Costumam apresentar músicas clássicas e os músicos são profissionais e remunerados.

– Coros oficiais:

Consiste em grupos amadores, nos quais apenas o regente e o músico acompanhante são profissionais e, portanto, remunerados. Os participantes são voluntários, o que não impede que sejam músicos (com formação).

– Universitário:

Formados pelas próprias instituições de ensino, normalmente, não são vinculados ao departamento musical das universidades e, sim, às reitorias, atuando como um coral comunitário. Todos os integrantes são da própria instituição ou comunidade. Esses grupos são uma das modalidades mais antigas de coros.

– Igreja:

Sem dúvidas o mais antigo tipo de coro e responsável pelo desenvolvimento de boa parte dos corais. Comumente formado por músicos religiosos, apresentam um repertório de alta qualidade com foco na música sacra. Giovanni Pierluigi da Palestrina e Johann Sebastian Bach compuseram para corais de igreja.

– Empresarial:

São grupos formados por funcionários e parceiros dos mais diversos segmentos empresariais. As empresas investem na qualidade de vida de seus funcionários e, em troca, obtêm o retorno artístico. Nos EUA e Europa, essa prática é muito mais comum do que no Brasil e, inclusive, existem ótimos coros. Os regentes desses grupos obtêm ótimas remunerações.

– Faixa etária:

São grupos categorizados pela idade e servem mais como uma atividade de interação social do que um trabalho estritamente musical. Existem corais infantis, jovens, adultos e seniores. Esses grupos tiveram um aumento nas participações em festivais e encontros, desde 1990.

– Gênero:

Da mesma forma que acontece com a faixa etária, nesses grupos, os corais são organizados por gênero, masculino ou feminino. Esses coros costumam apresentar-se a três vozes (SMA e TBBx), com repertório clássico e de qualidade.

– Meninos cantores:

Essa é uma modalidade quase extinta dos corais, composto apenas por homens e meninos, em sua maioria, vinculados à Igreja Católica. Os meninos eram responsáveis pelo soprano e alto e os homens, o tenor e baixo. Muitas músicas foram compostas para esse tipo de coro. O coro da Pontifícia Capela Musical Sistina é um dos últimos coros existentes e fica no Vaticano.

– Etnia:

Grupos organizados pela questão étnica. Costumam executar repertório folclórico e local, sempre com muita qualidade. Alguns desses grupos, como alguns existentes na África produzem seu próprio repertório e, inclusive, fazem turnês pelo mundo todo. Os regentes são remunerados e os integrantes são responsáveis pela manutenção do grupo.

– Independentes:

Como o próprio nome já sugere, esses corais independentes são mantidos pelos próprios grupos e apresentam um repertório variado, do clássico ao moderno, de todos os estilos. Esses coros se mantêm com a participação de músicos profissionais e não profissionais e são, comumente, classificados como organizações não governamentais e sem fins lucrativos.