Afinal, o que torna o ensino musical eficiente?

Não é novidade para ninguém que a arte possui uma importância muito grande para o desenvolvimento de crianças e jovens. Principalmente hoje, em um tempo no qual o imediatismo tem criado cidadãos cada vez mais estressados, as formas de arte podem ser uma ótima forma de se reconectar com os sentimentos, além de relaxar e colocar as pessoas em contato com materiais até então desconhecidos.

Por meio da música, por exemplo, é possível se divertir, explorar o próprio corpo e entender melhor os sons que nos rodeiam diariamente. Se praticado desde cedo, o estímulo musical pode ser a chave para jovens mais sensíveis e disciplinados. Mas, afinal, qual o papel do professor de música nessa história? O que torna a educação musical de fato eficiente? Confira algumas dicas para fazer com que o ensino de música funcione bem na prática.

4 dicas para um ensino musical eficiente

Comunique-se

Talvez a palavra-chave que resuma a eficácia do ensino, seja ele musical ou não, possa ser resumida em comunicação. Sobretudo quando se é aquele que ensina, é fundamental ter em mente que cada criança ou jovem é uma pessoa única, com dificuldades e desafios que podem, ou não, se assemelhar aos dos outros.

Somente a partir de muita conversa e interação é possível entender as particularidades do aluno e, a partir daí, desenvolver novos caminhos para que ele aprenda os conceitos e técnicas musicais. Se preocupe em conhecer a pessoa que deseja aprender e esteja aberto para ouvir seus questionamentos. Ao final, não só ele, mas você também sairá transformado da sala de aula.

Disciplina é tudo!

Além de boa comunicação, disciplina é tudo quando o assunto é aprender uma nova habilidade. Como professor, a dica é organizar um programa de estudo para os alunos, destacar a necessidade da prática diária e pensar em formas de introduzir a prática musical na rotina dos jovens.

Manter os estudantes motivados é fundamental: participe de concertos e festivais de sua cidade e coloque-os em contato com profissionais da música que você conhece. Vivencie a música!

Dando o exemplo

Compartilhar conhecimento com os demais exige, antes de tudo, entendimento do próprio tema. Musicalmente, isso significa que um professor deve, além de conhecê-lo teoricamente, saber aplicar seus conceitos e tocar bem os instrumentos que se dispõe a ensinar.

Quando for estudar o tema, certifique-se de encará-lo sem preconceitos e com senso crítico. Isso irá pesar na forma como seus alunos recebem seus direcionamentos e os reproduzem posteriormente.

O aluno

É evidente que a eficiência do ensino musical também depende do próprio aluno – talvez, até mais do que seu professor. Nesse caso, quem deseja aprender instrumentos musicais ou algum tipo de canto tem que estar pronto para colocar a mão na massa e descobrir os instrumentos por conta própria.

Aliados às aulas tradicionais, vídeos do YouTube podem ser uma ótima ferramenta para dar um gás em suas habilidades, por exemplo. Separar algumas horinhas do dia para praticar pode parecer bobeira, mas faz toda a diferença na hora de se apresentar.