A educação musical tem sido constantemente desafiada a sobreviver em uma sociedade como a brasileira, que tem deixado o ensino da arte e cultura em segundo plano nos currículos – e orçamentos – escolares, em detrimento de outras disciplinas mais instrumentais para o capitalismo.

Apesar disso, a música tem importância vital no desenvolvimento da aprendizagem infantil e, mesmo com a obrigatoriedade da educação musical na Educação Básica amparada pela Lei nº 11.769 de 2008, as concepções sobre o ensino da música precisaram se reinventar, buscar novas formas de comunicar e cortar os custos do ensino e da produção musical.

Dentro dessa realidade, separamos 4 tecnologias inovadoras que estão transformando o ensino da música nas escolas do Brasil e do mundo. Confira!

1 – Ensino à distância

A utilização da educação à distância (EAD) é a principal e mais óbvia forma de utilização da tecnologia. As instituições de ensino, incluindo escolas de renome mundial como a The Juilliard School, utilizam plataformas e ensino à distância online como ferramenta educacional já há vários anos.

Na Educação Básica, esse método de ensino é novo, mas já causou um importante impacto, principalmente para alunos de cidades pequenas, que não têm acesso constante a instrumentos musicais.

No ensino à distância, aulas pré-gravadas por professores de música são exibidas para os estudantes, que reproduzem as lições e realizam testes para avaliar a performance sobre o conteúdo ministrado.

Na falta de instrumentos apropriados, podem ser utilizadas flautas doces ou sintetizadores nos computadores, tudo para garantir que a função do aprendizado musical seja efetivada.

2 – Softwares Educativos

Principalmente na Educação Infantil e Ensino Fundamental I, os softwares educativos atuam como objetos introdutórios das crianças no universo da música.

Programas como Zorelha, voltados para o desenvolvimento da percepção musical; Práticas Criativas na web 2.0, em que se ensina música através de um ciclo criativo de imaginação, brincadeiras e diversão; e Gen Virtual, que utiliza a tecnologia de realidade aumentada para estimular o desenvolvimento musical de crianças, podem auxiliar o professor a trabalhar a música de forma lúdica.

3 – Aplicativos de notação musical

Aplicativos de notação musical ainda não são muito comuns no Brasil, mas fazem bastante sucesso no exterior. São softwares que ajudam o professor a ensinar teoria musical, auxiliando na compreensão e alfabetização musical, incluindo a leitura e escrita de partituras e escala musical. Estão amplamente disponíveis para smartphones e tablets, são grátis ou possuem um preço muito baixo, e são uma mão na roda para engajar os estudantes.

4 – Treinamento de ouvido

O treinamento do ouvido musical também fica bem mais fácil com a utilização da tecnologia. Antigamente, para treinar o ouvido, era necessário que os alunos fossem guiados por um instrutor, mas já existem aplicativos e softwares que ajudam a treinar o ouvido.

Com esse tipo de aplicativo é possível aprender escutar notas e intervalos, tons diferentes, leitura de acordes, entre outros recursos, tudo feito de forma intuitiva com dezenas de exercícios.

Esse tipo de aplicativo é especialmente útil porque permite que os professores passem os exercícios como uma tarefa para ser feita em casa, e os estudantes chegam à escola afiados para a aula!