Motivos para inserir música na educação infantil

Há doze anos, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação foi alterada para que a música se tornasse conteúdo obrigatório em toda a educação básica. No entanto, esta importante ferramenta ainda é um tanto negligenciada nas escolas. A educação musical vai muito além de uma atividade recreativa ou de gostos musicais em si. A música oportuniza linguagens e conhecimentos, colabora no desenvolvimento cognitivo. E quanto mais cedo houver este estímulo ao aprendizado, melhor para a criança.

Entrar em contato com a música desde cedo mexe com a imaginação e faz a criança descobrir o mundo a sua volta. E o melhor de tudo: de uma forma divertida, como as linguagens escrita e oral por si só não possibilitariam. A educação musical não necessariamente forma músicos, ainda que corais e orquestras sinfônicas, por exemplo, possibilitem a inclusão social de muitas crianças e jovens. Mas, na prática, quais são os grandes benefícios trazidos pela inserção da música na educação infantil? Nós listamos seis deles.

Criatividade

A música desperta e desenvolve a criatividade infantil, possibilitando que a criança crie, invente e reinvente o mundo à sua volta. Na prática, ela descobre capacidades que não conhecia, o que tem influência direta no processo de aprendizado.

Socialização

Aqui está uma das grandes ferramentas da educação musical. A criança se sente integrada, especialmente nas atividades em grupo, o que possibilita que mesmo os mais tímidos interajam mais, além de estimular a valorização dos colegas. E isso vale não necessariamente apenas para o ambiente escolar. A Sociedade Artística Brasileira (Sabra), situada em Betim-MG, é uma das instituições que entendem a ferramenta de inclusão da música e trabalham com crianças e jovens em orquestras sinfônicas, corais e oficinas musicais.

Coordenação motora

Bater palmas e inventar passos são ações simples que estimulam a coordenação motora das crianças. Quando há um contato mais direto com instrumentos, a criança desenvolve a habilidade de orquestrar movimentos finos nas mãos e braços, entre outros ganhos. O movimento corporal é imprescindível nas atividades musicais desenvolvidas pelos professores.

Oralidade

A educação musical estimula o desenvolvimento linguístico, especialmente na fase de alfabetização. Os ritmos desenvolvem a habilidade de pronunciar fonemas, por exemplo, o que possui impacto direto na oralidade.

Múltiplo aprendizado

A música estimula potencialidades dos circuitos cerebrais, ou seja, melhora a sensibilidade e estimula áreas do cérebro da criança que impactam no desenvolvimento de outras linguagens. Um exemplo prático é a matemática. As escalas musicais exercitam o raciocínio lógico, fazendo com que a criança tenha um melhor rendimento em atividades neste sentido.

Diversão conhecimento

A música precisa essencialmente ser uma atividade prazerosa. Então é claro que não estamos falando de um conteúdo rígido a ser aprendido, mas sim de uma forma divertida para que a criança amplie seu conhecimento. Isso envolve diversas atividades, como, por exemplo, brincar de roda, contar historinhas musicadas, acompanhar as músicas com os passos, aprender sons, etc.

Portanto, é seguro dizer que a educação musical tem um valor inestimável para as crianças. E quanto mais os educadores se apropriarem disso, melhor para o desenvolvimento dos alunos.

 

Se você gostou deste post:

– siga as nossas páginas nas redes sociais para acompanhar as nossas atualizações: estamos no Facebook, no Instagram, no LinkedIn, no Twitter e no YouTube!

– Conheça o trabalho da Sociedade Artística Brasileira (SABRA) e todas as iniciativas culturais e sociais que ela mantém. Acesse nosso site!

– entre em contato com a gente. E veja quais são as opções de ajuda na manutenção de nossas ações sociais e culturais. Basta acessar nossa página Doe Agora!

– Compartilhe este texto nas suas redes sociais e ajude os seus amigos a também dominarem o assunto!