Hoje em dia, especialmente nos tempos das redes sociais, nunca se discutiu tanto sobre cultura. Por um lado, isso é maravilhoso! Entretanto, com tanta discussão, tantas fake news, as pessoas às vezes confundem conceitos já consolidados há muito tempo no meio intelectual. Os conceitos das manifestações culturais são exemplo disso, especialmente no que se fala de cultura erudita, cultura popular e cultura de massa.

Neste texto, iremos explicar um pouco mais sobre cada um desses conceitos e de como eles são enxergados em nossa realidade contemporânea. Confira:

Cultura erudita

A cultura erudita está relacionada a um conhecimento formal, ou seja, uma erudição. Normalmente, ela é mais consumida pelas elites sociais, pois até mesmo a sua produção envolve um alto custo – pense em uma orquestra sinfônica, por exemplo, todos os seus músicos, o custo logístico dos instrumentos e do local de apresentação. Além disso, ela exige anos de estudos nas mais diversas áreas da arte, da cultura, e mesmo de ciências sociais ou exatas.

É possível destacar alguns museus, orquestras sinfônicas, óperas, certas apresentações teatrais, entre outras manifestações como de cultura erudita: alto custo, arte da elite, conhecimento profundo e formal.

Cultura popular

A cultura popular não envolve tanta “fineza” como a cultura erudita, mas ainda assim, se vale de conhecimento formal para sua produção. A diferença é que a esse tipo de manifestação cultural aproveita mais os insights vindos do povo, bem como também utiliza saberes típicos de uma cultura de erudição. O exemplo mais fácil de compreender que podemos citar é a Música Popular Brasileira (MPB).

Músicos como Caetano, Gil, Bethânia, entre outros, não fazem suas músicas exatamente para a massa, mas eles tiram diversas ideias, conceitos e inspirações das favelas, dos sertões e das áreas mais empobrecidas do país como forma de expressar seus sentimentos e ideias com a música, unindo isso a todo um conhecimento técnico em música e outras artes, que torna a música popular única.

Cultura de massa

Pegando o ponto de vista de pesquisadores como Adorno e Horkheimer, a cultura de massa é aquele tipo de cultura que todo mundo acessa, pois é de fácil compreensão, fácil reprodução e de grande padronização. Ou seja, “mais do mesmo”. Uma característica importantíssima desse tipo de cultura é o fato de que ela é pensada para ser comercializada (filmes, músicas, roupas, obras de arte, entre outros), às vezes, pautada mais pelo retorno comercial do que pela expressão artística em si.

Isso leva a uma série de críticas, mas não há como se negar que a cultura de massa tem muito mais potencial para chegar a um grande número de pessoas do que as duas citadas anteriormente.

Essa discussão erudita ou popular x massa não tem como intenção fazer um juízo de valor dessas manifestações, mas encontrar as suas diferenças para a produção de uma cultura mais espontânea e que realmente represente os anseios de nosso povo. Além disso, com o apoio da internet, está muito mais fácil transitar entre o que é erudito, massivo ou popular, mesclando aspectos desses três tipos.