Por que nós precisamos parar e refletir sobre o tema?

A música popular brasileira nos presenteou com uma celebre frase que diz: “Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo”. A sociedade moderna apresenta uma dinâmica de constante e intensa transformação. As mudanças podem ser vistas nos seus valores, conceitos, paradigmas e perspectivas sobre o mundo e sobre as pessoas. O feminismo cultural acrescenta nessa mudança, nessa transformação, envolvendo as pessoas por inteiro pela valorização da mulher e do que é feminino.

Qual é o objetivo do feminismo cultural?

O feminismo cultural surge como uma variação do feminismo radical por entender a necessidade intrínseca de mudança na forma como o mundo se relaciona com o que é feminino. Seu objetivo é reconhecer tudo o que é de característica feminina, além de querer o fim da sociedade patriarcal. No entanto, o objetivo não é que uma se sobreponha sobre a outra, mas que existe uma sociedade em igualdade de gêneros, em que os direitos das mulheres tenham lugar e sejam respeitados. Refletir sobre esse tema é fazer a sociedade evoluir.
A cultura, quer seja no Brasil ou no mundo, afincou que homens e mulheres são diferentes, sendo o primeiro o mais proeminente em todas as coisas. Desta forma, criou-se uma sociedade desigual em suas práticas e pensamentos. A transformação que o feminismo cultural propõe diz sobre aquilo que se relaciona a identidade de gênero, (feminina, masculina ou quem não se identifica com nenhuma das duas), pois ela determina a forma de agir, sentir e pensar de cada indivíduo, diretamente ligada ao que acredita ser a mulher e o homem.

A única diferença entre os gêneros é biológica

Todavia, está mais do que provado que as únicas diferenças que existem de fato entre as mulheres e os homens são as biológicas. Toda e qualquer diferença que sejam atribuídas aos homens e mulheres são frutos da cultura do patriarcado, de fundo machista e misógino. A sensibilidade, meiguice, submissão, independência, rebeldia, violência, controle e ousadia são desenvolvidos através de cultura, ou seja, são aprendidas e estimuladas ao não ao longo da vida. Todas essas questões fazem parte do que se chama de construção cultural de gênero.
Mesmo que tenha surgido do feminismo radical, o feminismo cultural apresenta algumas visões e características diferentes. Quando o primeiro começou a desaparecer, o cultural encontrou a sua força ao querer trazer a visibilidade a todas as características que sejam positivas das mulheres. Dentro dessa ideia está o encorajamento e a promoção da feminilidade, não de forma leviana, mas no de que positivo ela pode trazer a sociedade. Seguindo a lógica do movimento pode-se dizer que se a gentileza e a amorosidade fossem mais presentes na sociedade, menos guerras e violências aconteceriam.

A importância em discutir o tema

Discutir esse assunto é muito importante, dar voz ao feminismo cultural faz conhecer a sociedade mais a fundo, além de promover o feminino, que é o objetivo. As principais ações estão em trazer a valorização dessa cultura nos produtos que são produzidos para a TV, rádio, internet e cinema. As discussões também são promovidas por meio de eventos que acontecem no Brasil e no mundo. A pauta sempre está em conversar sobre a valorização do feminismo, como também destacar os Centros Culturais Feministas, as feiras Culturais Feministas e demais coletivos.

Se você gostou deste post:

– siga as nossas páginas nas redes sociais para acompanhar as nossas atualizações: estamos no Facebook, no Instagram, no LinkedIn, no Twitter e no YouTube!

– Conheça o trabalho da Sociedade Artística Brasileira (SABRA) e todas as iniciativas culturais e sociais que ela mantém. Acesse nosso site!

– entre em contato com a gente. E veja quais são as opções de ajuda na manutenção de nossas ações sociais e culturais. Basta acessar nossa página Doe Agora!

– Compartilhe este texto nas suas redes sociais e ajude os seus amigos a também dominarem o assunto!