Qual o impacto da Responsabilidade Social na sociedade?

Algumas expressões parecem ter entrado na moda; de repente, estão na televisão, nas redes sociais, nos perfis de celebridades. Isso não é ruim, mas só é bom quando as reproduzimos entendendo o seu significado e o seu impacto. E esse é o caso da “Responsabilidade Social”. Afinal, você sabe o que é e como ela influencia na sociedade em que vivemos?

O que é Responsabilidade Social?

Em uma sociedade ideal todas as pessoas teriam as mesmas oportunidades para estudar, conseguir uma colocação no mercado de trabalho, uma moradia digna, acesso à saúde e tudo aquilo que permite uma vida minimamente estável.

Mas sabemos que isso não acontece: historicamente, desde a formação da burguesia no final da Idade Média, enquanto emergiam grupos com poder aquisitivo mais elevado, outros enfrentavam a extrema pobreza. E existem outros fatos que também contribuíram para a consolidação das desigualdades, como a escravidão de pessoas negras, por exemplo.

O fato é: a desigualdade acabou se tornando parte do DNA da sociedade e o Estado não dá conta de suprimi-la. Nesse contexto, a Responsabilidade Social surge como uma iniciativa de empresas privadas que adotam medidas para contribuir com a construção de uma sociedade mais justa.

Dentro disso, estão ações que não visem apenas o lucro, mas que representem alguma contribuição social para o meio em que a empresa está inserida.

Um exemplo histórico

Para compreender melhor, vamos retomar um exemplo histórico, talvez, o mais antigo caso significativo de Responsabilidade Social. Henry Ford foi o empresário reconhecido mundialmente como inventor do Fordismo, um modelo de produção que contribuiu muito com o advento do capitalismo moderno.

Ford elaborou uma iniciativa em que parte dos lucros da sua indústria, ao invés de ser dividida entre os sócios, foi revertida para o aumento de salários e a formação de um fundo que oferecesse suporte à empresa e aos trabalhadores quando os preços dos automóveis fabricados fossem reduzidos.

Na época, os operários eram pessoas com baixo poder aquisitivo, então, a ideia era criar um cenário em que eles tivessem acesso aos bens que produziam, podendo comprar um carro.

Uma via de mão dupla

Não faltam exemplos de ações de Responsabilidade Social tomadas por empresas. Algumas dedicam parte das vendas de um produto para uma instituição de caridade; outras proporcionam o acesso de crianças em situação de vulnerabilidade social à cultura. Em geral, as empresas conseguem suprir uma lacuna deixada pelo governo.

Mas é importante ressaltar que essas ações são uma via de mão dupla: por um lado, esses grupos marginalizados são ajudados e podem mudar completamente de vida. Por outro, a longo prazo, a criminalidade é reduzida e forma-se uma sociedade mais equilibrada, com mais pessoas com um poder de compra ligeiramente elevado, que possam se tornar consumidoras.

Ou seja, existe sim um senso prático por trás dessas iniciativas, mas isso definitivamente não é algo ruim, muito pelo contrário: só prova que todos os setores da sociedade podem sair ganhando quando lutam pela redução das desigualdades e em prol da justiça social para todos.

Se você gostou deste post:

– siga as nossas páginas nas redes sociais para acompanhar as nossas atualizações: estamos no Facebook, no Instagram, no LinkedIn, no Twitter e no YouTube!

– Conheça o trabalho da Sociedade Artística Brasileira (SABRA) e todas as iniciativas culturais e sociais que ela mantém. Acesse nosso site!

– entre em contato com a gente. E veja quais são as opções de ajuda na manutenção de nossas ações sociais e culturais. Basta acessar nossa página Doe Agora!

– Compartilhe este texto nas suas redes sociais e ajude os seus amigos a também dominarem o assunto!