A computação e a evolução das tecnologias surgiram para deixar a nossa vida mais rápida, confortável e eficiente. Seus efeitos podem ser vistos a praticamente todo momento, na vida pessoal, no lazer e na vida profissional. Um aspecto extremamente importante da sociedade que também não fica de fora é a educação, tanto tradicional como musical. Então, como funciona a educação aplicada a educação musical?

A computação aumentando a inclusão

Por conta de todos os recursos que a tecnologia oferece, a computação tem um grande desafio, que passa quase a ser uma obrigação. Por conter um acesso a uma grande quantidade de informação, ela pode reunir tudo que o aluno precisa para ter uma boa educação musical.

O professor pode então, unir as duas áreas de modo a conseguir todas as informações possíveis, de modo a criar um sistema de ensino musical eficaz e inclusivo.

Existem diversos recursos que a computação traz para a sala de aula. Primeiramente, é uma fonte de materiais praticamente infinita, que dá ao professor a versatilidade de preparar a aula de acordo com os seus próprios limites e também, de acordo com as necessidades e a individualidade de cada criança.

Apenas esse aspecto já é importante para vencer um dos desafios da educação, que é a inclusão. Como a aula pode ser preparada de inúmeras formas, é praticamente impossível que algum aluno não tenha suas necessidades atendidas.

O uso dos recursos

Além da coleta de informações, diversos outros recursos podem ser usados para auxiliar nesse processo.

Primeiramente, existem as opções de uso mais geral. Ferramentas que são comuns, mas que quando usadas em sala de aula podem ser muito efetiva. Os vídeos são um ótimo exemplo. O professor pode usar um vídeo de uma apresentação musical como base e ilustrar para os alunos alguns conceitos importantes.

As soluções para gravar áudio podem ser muito úteis para o professor, e o próprio aluno, poderem avaliar uma apresentação, por exemplo. Ferramentas mais sofisticadas ainda permitem manipular o som para o melhor resultado.

Mas, ainda mais interessante que isso, são os softwares desenvolvidos especialmente para os músicos e ainda para o ensino musical.

Por exemplo, softwares de edição de partituras podem ser usados tanto para ensinar o aluno como escrever a sua, como uma forma de acompanhamento de um ensaio. Além do mais, se ela tiver o recurso de edição em tempo real, pode ser usada em uma divertida aula de criação com toda a turma.

Existem também os softwares de acompanhamento. Esses produzem um acompanhamento e ritmos em tempo real e pode ser usada em diversas aulas, como aquelas em que o estudante precise treinar harmonia ou improvisação.

Softwares de sequenciamento, de treinamento auditivo e de síntese sonora, também são muito comuns.

A união entre computação e educação musical

Essa grande quantidade de opções dá aos professores, planejadores e as instituições de ensino a resposta para alguns dos maiores problemas da educação musical.

A centralização do material e a grande quantidade de recursos versáteis dá a todos a capacidade de criar materiais de educação musical que sejam divertidos, interativos, eficazes e, mais importante, que seja capaz de atender a necessidade de todos, inclusive do professor, tornando a sua vida mais fácil e o trabalho mais eficiente.

Com essa combinação, todos saem ganhando.